MENU

COLUNISTAS


Política

MILTON ALVES




 
 

Sexta-feira, 25/05/2018, às 06:00

O reconhecimento

Bela lembrança teve o prefeito Joares Ponticelli (PP) ontem durante os atos inaugurais das obras do entorno e complementares da Arena Multiuso Estener Soratto da Silva. Foi, sem dúvida, o ex-governador e atual deputado Leonel Pavan (PSDB), licenciado para tratamento de saúde, que, ao lado do saudoso ex-prefeito Manoel Bertoncini, do seu partido, plantou a grande semente daquela gigantesca obra, que teve também a participação do ex-prefeito Olavo Falchetti (PT), bem como dos governadores mais recentes Raimundo Colombo (PSD) e Eduardo Pinho Moreira (MDB). Pavan chegou a ser convidado por Joares para estar presente ao evento, dias antes de ter sofrido o AVC que o afastou das atividades. Foi representado por sua filha e por assessores de seu gabinete na Assembleia.

Desdenharam
A greve dos caminhoneiros pode acabar a qualquer momento. As suas consequências, porém, já estão sacramentadas e vão latejar na cabeça da classe política brasileira por muito tempo. O movimento, seja qual for o resultado prático que obtiver, serve como alerta de que não se pode menosprezar a força dos caminhoneiros autônomos deste país. Ontem, numa passada rápida pelas notícias a respeito da paralisação, ficou evidente a verdade, que até então não era possível de ser enxergada: a de que o governo nada fez nos dois primeiros dias da greve porque desdenhou do movimento.

Analistas parceiros
Pelo conteúdo das crônicas e artigos dos analistas políticos e econômicos que cobrem Brasília, aqueles que estão diretamente ligados aos membros dos três poderes, porque com ele convivem diariamente trocando ideias e recebendo muitas informações oficiais ou em “off”, ficou escancarado que os governantes deixaram a greve chegar a tal ponto, virando tudo de perna pra cima e colocando o país à beira do caos, porque não acreditavam que ela decolasse. Com o silêncio conivente destes colegas da grande imprensa, apostaram de que tudo não passaria de um “barulho” na segunda-feira, que não sobreviveria à manhã de terça.

E sabem por quê?
  Porque acreditavam que sem o apoio das associações e sindicatos que representam as corporações do setor, as grandes empresas transportadoras, os autônomos estavam fadados ao insucesso. Não resistiriam mais do que 24 horas parados à beira da estrada, entregues à sorte de Deus. Erraram redondamente e levaram para o mesmo buraco do equívoco analítico, meio que a cabresto, a opinião também dos analistas “amiguinhos” que passaram três dias escrevendo abobrinhas, tratando a greve como se nada de mais grave ela fosse gerar.

Terra de cego
Não à toa, somente ontem, quando a greve chegou ao seu quarto dia e as consequências passaram a estourar em suas próprias casas, os nossos coleguinhas formadores de opinião partiram para o ataque. Deixaram de lado o posicionamento neutro de até então e resolveram fazer o jogo do governo. Usando afirmações explicitamente pejorativas como “chantagem dos caminhoneiros” e outras mais, buscam desestabilizar o movimento e mostrar preocupação pelo Brasil que até então não tinham. Alienados pelos “padrinhos de Brasília”, ainda não conseguiram enxergar de onde vem a força dos caminhoneiros. Bem diz o ditado que “em terra de cego, quem tem um olho é Rei”.

Olha a Marina aí!
Provável candidata à presidência da República pela terceira vez, a ex-senadora Marina Silva criticou medidas do atual governo ao ser questionada sobre a greve dos caminhoneiros, afirmando que a Petrobras tem “margem” para manejar preços. A pré-candidata pela Rede participou ontem de uma sabatina que vem sendo realizada por jornalistas da Folha de S. Paulo, UOL e SBT com os presidenciáveis. Segundo Marina, “ninguém aumenta a tarifa de luz todo dia em função do dólar e o preço do combustível tem que seguir certa lógica”. Questionada sobre Lula, a ex-ministra petista foi direta ao falar que “em uma democracia, não se pode mudar lei em função de uma pessoa” e que o PT manter a ideia de uma possível candidatura de Lula “é uma atitude meramente política”. Então tá.




OUTRAS COLUNAS









MAIS LIDAS










Avenida Marcolino Martins Cabral, 1315, 6º piso Praça Shopping
Centro - Tubarão/SC - CEP 88701-105 - 48. 3631-5000
Todos os direitos reservados - JORNAL DIÁRIO DO SUL